Cine África ganha duas sessões extras com realizadores de Cabo Verde e Angola

Cena de “Ar-Condicionado” (2020), de Fradique. Crédito: Geração 80.

Nos dias 6 e 10 de junho, às 16h, o Cine África, cineclube que tem como principal objetivo difundir no Brasil a produção audiovisual africana, promove encontros com realizadores de Cabo Verde e Angola, pelo YouTube. O público poderá assistir (e debater com os cineastas) os longas “Kmêdeus” e “Ar-Condicionado”, gratuitamente. Ambos integram o festival We Are One. Agora com onze títulos, o Cine África | Em Casa segue sua programação online até julho. 

As coordenadoras da iniciaitiva conduzem um bate-papo com o diretor Nuno Miranda e o produtor Pedro Soulé, de Cabo Verde, responsáveis pela realização do documentário “Kmêdeus”, no dia 6 de junho, sábado. O encontro conta ainda com a presença do artista António Tavares, autor da performance que inspirou narrativa do longa que gira em torno de uma figura mítica da cidade de Mindelo. 

Já no dia 10 (quarta), é a vez do diretor Fradique e do produtor Jorge Cohen, que estão à frente do longa de ficção “Ar-Condicionado”. A Geração 80, produtora que assina o filme, é a maior e mais relevante de Angola neste momento, e este é o seu primeiro longa de ficção. Na trama, quando os ares condicionados começam a cair dos apartamentos de Luanda, um guarda e uma empregada, tem a missão de recuperar o aparelho do chefe.

Ambos os filmes estrearam mundialmente este ano no Festival de Roterdã e entraram na programação do We Are One: A Global Film Festival, que reuniu festivais de todo o mundo para exibir filmes no YouTube por uma semana. “A ideia do Cine África é aproximar o público brasileiro do cenário audiovisual africano com depoimentos dos próprios realizadores, tanto no âmbito da criação como no da produção”, explica Ana Camila Esteves, uma das organizadoras do evento.

Sessões extras Cine África | Em Casa

“KMÊDEUS” (dir. Nuno Miranda. Cabo Verde, 2020. Kriolscope. 53min)

O filme gira em torno da história intrigante de um misterioso excêntrico sem-teto chamado Kmêdeus (“Comer Deus”) que morava na ilha de São Vicente, Cabo Verde. Para alguns, ele era um lunático, para outros, um artista. Mas para todos, ele era e ainda é um mistério.

António Tavares, um importante dançarino contemporâneo de Cabo Verde, criou uma performance baseada na vida e no mundo interior de Kmêdeus. Ele nos leva em uma viagem por sua cidade natal, Mindelo, as músicas e filmes da ilha e a celebração de seu carnaval anual. Torna-se, assim, uma busca pelos aspectos fundamentais de uma das comunidades crioulas mais antigas do mundo.

Disponível no dia 3 de junho às 10h e por sete dias

Date-papo: dia 06 de junho, às 16h

“AR-CONDICIONADO” (dir. Fradique. Angola, 2020. Geração 80. 73min)

Quando os ares condicionados começam misteriosamente a cair dos apartamentos na cidade de Luanda, Matacedo e Zezinha, um guarda e uma empregada doméstica, tem a missão de recuperar o aparelho do chefe. Essa missão leva-os à loja de materiais elétricos do Kota Mino, que está a montar em segredo uma complexa máquina de recuperar memórias. “Ar Condicionado” é uma jornada de mistério e realidade, uma crítica sobre classes sociais e como nós vivemos em conjunto nas esperanças verticais, no coração de uma cidade que é passado-presente-futuro.

Disponível dia 6 de junho às 12h45 e por sete dias

Bate-papo: dia 10 de junho às 16h

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: