Mostra de Cinemas Africanos promove curso sobre a obra do cineasta Flora Gomes

O diretor Flora Gomes. Crédito: divulgação.

Neste mês de agosto, a Mostra de Cinemas Africanos promove o curso “A Cinematografia Múltipla de Flora Gomes”, ministrado pela pesquisadora e especialista na obra do cineasta da Guiné-Bissau, Jusciele Oliveira. Os encontros acontecem aos sábados de agosto, das 15h às 19h (total de 20 horas), e contarão com a presença do próprio diretor em uma das aulas. O investimento é de R$ 200,00, com emissão de certificado.

Os filmes, legendados em português, serão enviados aos inscritos por meio de links privados que ficarão disponíveis por dois meses (agosto e setembro de 2020). As aulas acontecerão na plataforma Zoom e o curso oferece 90 vagas. Dúvidas podem ser enviadas para o e-mail cursos@mostradecinemasafricanos.com. Inscrições devem ser realizadas pelo formulário Google.

Clique no folder para fazer a sua inscrição. Crédito: divulgação.

Flora Gomes é um dos nomes mais importantes dos cinemas africanos. Estudou cinema em Cuba, no Instituto Cubano de Artes e Indústria Cinematográfica (ICAIC – 1967-1972), sob os ensinamentos de Santiago Álvarez Román; e em Dakar, na Televisão Senegalesa (1972-1973), sob orientação de um dos mestres dos cinemas africanos, Paulin Soumanou Vieyra.

Iniciou a sua carreira cinematográfica ao lado de Sana Na N’Hada, co-realizando com este dois curtas-metragens: “O Regresso de Cabral” (1976) e “Anos no Oça Luta” (1976). Seus longas-metragens de ficção são: “Mortu Nega” (Morte Negada, 1988), “Udju Azul di Yonta” (Olhos azuis de Yonta, 1992), “Po di Sangui” (Pau/Árvore de Sangue, 1996), “Nha Fala” (Minha fala, 2002) e “Republica di Mininus” (República de Meninos, 2012); e do documentário “As Duas Faces da Guerra” (2006), que assina em coautoria com Diana Andringa.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Segundo informado pelos organizadores, com este curso, eles esperam e contribuir também com o alargar de conhecimentos em torno da Guiné-Bissau por meio da obra Flora Gomes, que em seus filmes apresenta a sociedade, a história, memórias e tradições bissau-guineenses de maneira em nada estereotipada. O curso terá ênfase na área dos estudos cinematográficos, partindo da concepção de autoria e da teoria dos autores para pensar a obra do diretor.

Através de análises fílmicas orientadas, serão destacados traços formais, estilísticos, estéticos e de conteúdo do realizador, examinando as estratégias de mise en scène, modo de construção narrativa e recorrências temáticas encontradas nos cinco longas-metragens de ficção que você confere os trailers abaixo.

“Mortu Nega” (Morte negada, 1988)

“Udju azul di Yonta” (Olhos azuis de Yonta, 1992)

“Po di Sangui” (Pau/Árvore de sangue, 1996)

“Nha Fala” (Minha fala, 2002)

“Republica di Mininus” (República dos Meninos, 2012)

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: