“Robocop” (1987), de Paul Verhoeven: capitalismo neoliberal e a busca pela humanidade perdida

Existem filmes que não envelhecem. Existem filmes que ficam melhores com o tempo. O jovem clássico “Robocop” de 1987, dirigido com fúria por Paul Verhoeven, enquadra-se nesta categoria. Lembrei-me do filme ao ler a curiosa notícia da “falência” da cidade de Detroit. Parece-nos bizarro a falência de uma cidade, mas a crença americana nas leis do... Continuar Lendo →

O martírio da classe operária em “Eu, Daniel Blake”, de Ken Loach

O combativo Ken Loach “Eu, Daniel Blake” é um grito político e social que o diretor britânico realiza com sensibilidade e urgência. O estilo narrativo de Loach é simples, formal, sem arroubos técnicos. Seu óbvio interesse é contar uma história simples e poderosa, que desenvolve com costumeira eficiência. Dos seus filmes emana a ideia clara de superioridade moral da classe... Continuar Lendo →

Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑