“Trinta Povos” aborda a história de Brasil, Argentina e Paraguai através do processo de colonização jesuítico-guaraní

Crédito: Anti Filmes.

Anti Filmes e Boulevard Filmes apresentam o documentário “Trinta Povos”. Escrito, produzido e dirigido por Zeca Brito (“Legalidade”, 2019), o filme é o sétimo longa-metragem do diretor bageense e aborda o legado das missões jesuíticas na América Latina.

A produção teve sua première no Festival de Cine de Punta del Este, em fevereiro deste ano, no Uruguai. “Trinta Povos” investiga a história do Brasil, Argentina e Paraguai através de ruínas e reminiscências de arquitetura, pintura e mitologias.

O diretor Zeca Brito. Crédito: Joba Migliorin.

O trabalho de pesquisa reunido para o filme analisa os três países separados por águas e linhas imaginárias, porém unidos pela cultura e por uma história comum: um passado jesuítico, barroco e guarani. Também assinam a produção Frederico Ruas, Letícia Friedrich, Lourenço Sant’Anna, e Zuleika Borges Torrealba (1933-2019).

O filme tem estreia prevista para 2020 no Canal Curta!. O financiamento é do Fundo Setorial do Audiovisual através da Agência Nacionalde Cinema (ANCINE) e Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE).

Este slideshow necessita de JavaScript.

“’Trinta Povos’ é um filme que se propõe a resgatar o legado artístico, arquitetônico, pictórico e simbólico do processo de colonização jesuítico-guaraní”, define o cineasta Zeca Brito. “O grande desafio do filme é costurar uma história fragmentada geopoliticamente, um passado comum entre três países que hoje se encontram separados, divididos por questões distintas, mas com elementos culturais, históricos e etnográficos que os ligam”, explica Zeca, que divide o roteiro com Jardel Machado Hermes e Maria Elisa Dantas.

É um filme que faz uma visão crítica sobre a história e traz questões políticas acerca da ocupação territorial que começa em 1606 com a chegada do jesuíta e chega aos dias atuais com os conflitos agrários nesse território”, resume. Com duração de 78 minutos, o documentário reúne e contrapõe diversos depoimentos de nativos e pesquisadores sobre arte, religião, política territorial, entre outros assuntos.

Deixe seu comentário

Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: