“A Grande Guerra Patriótica dos Soviéticos”: autores do livro comentam algumas batalhas decisivas para a derrota nazista

Crédito: Alchetron.

A grande influência de setores acadêmicos e intelectuais provenientes dos Estados Unidos e Europa ocidental sobre a estrutura de pesquisa e ensino brasileira não deixou grande espaço para que fontes de outros países e regiões do mundo tivessem as suas versões dos fatos contadas à sociedade brasileira. Com a Segunda Guerra Mundial não foi diferente. Aprende-se nas escolas e universidades brasileiras que o ocidente foi o responsável pela derrocada nazista.

Crédito: Mariana S. Brites/Revista Intertelas.

E a máquina midiática e cultural norte-americana só contribuiu para salientar ainda mais esta afirmativa. Porém, ao se realizar um estudo maior de dados, documentos e até publicações e periódicos da época provam o contrário: os soviéticos foram chave para derrota nazista na Europa e em outras partes do mundo. Por esta razão, o livro “A Grande Guerra Patriótica dos Soviéticos” (1941-1945), lançamento da Multifoco Editora, busca preencher esta lacuna existente na bibliografia brasileira. Em razão do 75° Aniversário da Vitória Aliada sobre os nazistas, a Revista Intertelas traz o resumo de três capítulos da obra, aqui, apresentados por seus respectivos autores e também membros do Grupo de Estudos 9 de Maio.

Às Portas de Moscou- A Sangrenta Batalha por Rjev (Rzhev)

Por Éden Pereira Lopes da Silva

Este capítulo aborda sobre uma batalha pouco conhecida no ocidente, e importante parte na Grande Guerra Patriótica, ocorrida em Rjev (Rzhev), a poucos quilômetros da capital soviética, Moscou.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Discutindo a importância de sua disputa para a segurança da capital soviética e da frente central, sua importância é comparável a Stalingrado, que ocorreu em concomitância. A Operação Marte é discutida em seus aspectos militares e políticos, demonstrando que sua concomitância a Operação Urano em Stalingrado, contribui para uma importante derrota estratégica dos alemães na frente oriental.

A Batalha de Smolensk

Por Vinícius Ramos

Este capítulo destaca o cenário existente durante a invasão nazista a URSS, o autor centraliza a análise em torno do desenvolvimento da Blitzkrieg durante a Operação Barbarrossa.

Este slideshow necessita de JavaScript.

As operações militares ocorridas na Batalha de Smolensk são evidenciadas a partir de uma abordagem desta enquanto uma primeira deficiência de manobra da Wehrmacht, que evidencia também uma primeira experiencia de resposta soviética organizada em uma batalha urbana contra a Blitzkrieg.

A Batalha do Ártico e a Destruição da Esquadra Negra

Por Ricardo Quiroga Vinhas

Este capítulo aborda a pouco conhecida participação soviética nas batalhas navais ocorridas em torno do Mar Ártico, bem como as operações navais nazistas nos portos do norte do país. Descrevendo a pouca conhecida viagem que os comboios de ajuda do land-lease faziam para chegar a URSS, sob alto risco de bloqueio ou cerco de embarcações navais militares alemãs, onde destaca a difícil situação dos combates na região norte do país.

Este slideshow necessita de JavaScript.

As operações navais da Kriegsmarine são destacadas com evidente importância para o esforço de guerra soviético nesta frente, essencial também para os demais aliados. Ele destaca a importância das ações soviéticas no mar e em terra para libertar o norte da Noruega e retirar da Esquadra Negra, a capacidade de combate.

Deixe seu comentário

Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: