Versão online do 7º Festival Internacional Cinema & Transcendência faz homenagem ao Dia da Consciência Negra

“Gangbé” (2015), de Arnaud Robert. Crédito: divulgação.

A versão online do Festival Internacional Cinema e Transcendência segue até o dia 27 de novembro. A sétima edição do evento oferece uma uma sessão por dia, às 21h, com apresentação ao vivo feita por Carina Bini, produtora e co-curadora (os filmes só estão disponíveis no horário da sessão) e uma introdução gravada pelas diretores (as) das produções. Além de atividades extras como lives, debates e prática de meditação. O projeto é patrocinado pelo Banco do Brasil e integra as ações on-line do movimento #CCBBemCasa.

Na próxima sexta-feira, 20 de novembro, é o Dia da Consciência Negra. Assim, a iniciativa  dedicará um fim de semana inteiro a filmes e debates sobre o assunto. A programação especial começa na própria sexta com a exibição do inédito O Outro Lado da Memória, seguida de conversa com o diretor André Luiz Oliveira, curador do Festival. No dia seguinte, sábado, às 17h, será realizado o debate “Consciência Negra – O Outro Lado da Memória”, com André Luiz Oliveira e o produtor Caetano Curi; e, às 21h, tem sessão única de “Orin – Música para os Orixás”, com apresentação do diretor Henrique Duarte.

Encerrando as homenagens, no domingo, às 17h, acontece o debate “Consciência Negra – Ancestralidade viva em todos nós”, com Henrique Duarte e a mestra griô Ebomi Cici de Oxalá, em que o diretor discorre os desafios de filmar em espaços considerados sagrados, rituais tradicionais e as inspirações que o levaram à criação da obra. Logo após a conversa, inicia a sessão, às 21h, de “Gangbé”, produção suíça, de Arnaud Robert. Para assistir aos filmes e aos debates, basta acessar gratuitamente o site do Festival Internacional Cinema e Transcendência, clicar na cadeira vermelha da “sala de cinema”, colocar nome, e-mail e aproveitar toda a programação do festival. O público poderá participar dos debates por meio de chat, sem necessidade de inscrição prévia.

Crédito: http://festivalcinemaetranscendencia.com/2020/

Temos que comemorar todos os dias a consciência negra, o privilégio de termos sido misturados com as pessoas do continente africano, mesmo que isso tenha sido de maneira dolorosa, para sermos um país com mais igualdade. A visão eurocêntrica ainda domina e não se fala dos negros como pessoas que vieram construir uma nação. A herança africana está no nosso DNA e O Outro Lado da Memória trata muito disso. Ele é inspirado no livro “Viva o Povo Brasileiro”, obra-prima de João Ubaldo Ribeiro, que mostra essa realidade de forma muito criativa e profunda, a contradição da alma brasileira a partir de pessoas que vieram escravizadas da África”, comenta André Luiz Oliveira.

Já “Orin – Música para os Orixás” mostra a influência da música do Candomblé sobre os mais variados gêneros da música popular brasileira. “Gangbé” será exibida com legendagem descritiva para surdos e ensurdecidos (LSE). O documentário apresenta, a partir da Gangbé Brass Band, uma jornada por uma África contemporânea, que não mais aspira apenas ao sonho europeu, mas, de maneira poética e descolada, abre novos horizontes.

Com perfil ímpar no Brasil, o Festival Internacional Cinema & Transcendência exibe filmes que exploram a experiência da transformação pessoal a partir das suas narrativas. São obras que investigam a subjetividade e oferecem novas camadas de reflexão sobre temas relevantes da contemporaneidade. Os títulos selecionados para o festival transcendem padrões e promovem uma relação transformadora entre o cinema e a realidade de cada pessoa, abordando temas como a espiritualidade, práticas de autoconhecimento, meditação, biografias de estudiosos, sábios ou gurus, ancestralidade, expansores alucinógenos, terapias, xamanismo e outras questões que perpassam o caminho de busca pela consciência. “O que nos nutre é a possibilidade de promover a relação do cinema como arte mediadora entre o sentido estético e a experiência introspectiva de autoconhecimento”, já disse o curador André Luiz Oliveira.

Programação

19/11 – QUINTA

21h – Encontrando Joe (Finding Joe) – Com apresentação do diretor Patrick Takaya Solomon – 85’ – Livre

20/11 – SEXTA – Programação em homenagem ao Dia da Consciência Negra

21h – O Outro Lado da Memória – 115’ – 10 anos – Após o filme, bate-papo com o diretor André Luiz Oliveira

 21/11 – SÁBADO – Programação em homenagem ao Dia da Consciência Negra

17h – Debate “Consciência Negra – O Outro Lado da Memória” – Com o cineasta e curador do Festival André Luiz Oliveira e o produtor Caetano Curi.

21h – Orin – Música para os Orixás – SESSÃO ÚNICA – Com apresentação do diretor Henrique Duarte – 60’ – Livre

 22/11 – DOMINGO – Programação em homenagem ao Dia da Consciência Negra

17h – Debate “Consciência Negra – Ancestralidade viva em todos nós” – Com o cineasta Henrique Duarte e a mestra griô Ebomi Cici de Oxalá.

21h – Gangbé – SESSÃO ÚNICA INCLUSIVA (com legendagem descritiva para surdos e ensurdecidos – LSE) – 63’ – Livre

 24/11 – TERÇA

21h – E quanto a mim? (What about Me) – Com apresentação do diretor Jamie Catto – 91’ – Livre

25/11 – QUARTA

21h – Quem se importa – Com apresentação da diretora Mara Mourão – 98’ – Livre

 26/11 – QUINTA

21h – O Navio de Teseu (Ship of Theseus) – Com apresentação do diretor Anand Gandhi – 144’ – Livre

 27/11 – SEXTA

21h – O Outro Lado da Memória – Com apresentação do diretor André Luiz Oliveira – 115’ – 10 anos

Deixe seu comentário

Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: