Marina Negreiros realiza a estreia online de “ANANSI – experiência cênica audiovisual” neste sábado

Crédito; Anansi divulgação.

Octomax Produções, em São Bernardo do Campo, prepara-se para abrir suas portas no mundo das transmissões, no dia 26 de junho , às 20h, com a estreia do espetáculo “Anansi”. A apresentação em destaque fica por conta de Marina Negreiros, atriz, compositora e intérprete, que promete um repertório de músicas autorais tecidas em uma experiência narrativa e cênica. Formada em teatro pela Fundação das Artes de São Caetano do Sul e sendo uma artista independente, Marina traz uma performance lírica e pessoal, inspirada por suas raízes, experiências, dores e memórias, que resultaram no projeto. A performance de junho será realizada no canal do YouTube da artista, contando com o apoio da agência digital Rapina e com produção e realização do estúdio Octomax Produções. Para garantir o seu ingresso, acesse o Linktree da Marina Negreiros. Além da apresentação, a compra do ingresso também garante ao público o e-book “Anansi – por trás da teia”, produzido exclusivamente para essa experiência, narrando a trajetória da artista dentro da música.

O espetáculo híbrido envolve uma personagem única, chamada Aso Anansi, inspirada na mitologia africana. “Ela se materializa no show a partir do meu corpo, tecendo, tramando e dando nó nas músicas“, diz Marina. “São músicas que eu compus no período de isolamento social e existem poemas e narrativas, dentro dessa dramaturgia, sobre minha ansiedade, minhas solidões, minhas questões e atravessamentos dentro do contexto pandêmico“.

Sendo um projeto que vem sendo construído desde o início de 2020, a artista traz uma reflexão sobre as misturas do individual com o coletivo, o sagrado feminino e seu contexto como mulher periférica e homossexual nos tempos em que vivemos. “Esse show, Anansi, nada mais é do que contar memórias, que de repente são as suas, que de repente são as nossas. […] Meu papel, dentro da arte, é de narrar essas trajetórias que eu tracei, mas que servem de espelho para outras, assim como outras servem de espelho para as minhas“, completa a autora.

Crédito; Anansi divulgação.

Pra mim, é impossível que eu trace novos caminhos no presente sem antes revisitar e reverenciar meu passado. Assim, aprendi a construir futuros”, conclui a artista. Tendo raízes artísticas na família, Marina Negreiros começou a atuar em 2013 em São Bernardo do Campo no Ponto de Cultura Consorte, que seu pai ajudou a fundar em 2001, fazendo sua estreia nos palcos com a peça “A Máquina de Somar”, também atuou em espetáculos comerciais com a Cia Brittos Produções.

Marina ingressou na Fundação das Artes, onde encontrou seu caminho autoral, somando música e teatro. “O que eu aprendi na Fundação como atriz foi ferramenta para desenvolver as minhas habilidades como compositora e, por assim dizer, dramaturga dessas trajetórias“, afirma. Depois de formar-se com a peça “Tal qual confete ou A última história”, baseada no universo de Clarice Lispector, a artista passou pelo grupo Grilo Chico de Teatro, composto de atores também formados na FASCS, com o qual realizou uma temporada do espetáculo “Tempo de  Encanto no Sesc Santana.

Com Anansi, Marina realizou uma única apresentação, que evoluiu e transformou-se desde o show na antiga “Nós Cinco Treze” em São Caetano do Sul, espaço criado por atores que também passaram pela FASCS. “Anansi tece de dentro pra fora, por isso, essa experiência é intima e intimista. Em conversas com Max, o produtor que topou todas as minhas piras, nós decidimos que a transmissão será realizada da minha casa, berço de todas as canções e da criação desse espetáculo”, conclui a artista que convida o público para não só adentrar em seu espaço íntimo particular, mas também no seu espaço lar.

Deixe seu comentário

por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: