O conceito de Soft Power e o exemplo francês (texto bilíngue)

Crédito: Les protagonistes du cinéma de la Nouvelle Vague – WordPress.com.

O conceito de Soft Power e o exemplo francês 

 The concept of Soft Power and the French example

Há diversas publicações atualmente que visam explicar o conceito de Soft Power, em português Poder Suave, apenas apresentando uma lista de “ativos” culturais importantes de alguns países. Tal iniciativa não é suficiente para bem entender e compreender o que significa e o que está em jogo quando falamos desta forma de poder. A área das relações internacionais (RI) tem por objetivo estudar as relações de poder que ocorrem na esfera internacional fora dos contextos nacionais. Diferentemente do que ocorre dentro de cada país, o espaço internacional é anárquico. Não há uma autoridade superior, supranacional, que de forma hierárquica e imperativa exerça o seu poder sobre os Estados nacionais e todas as outras formas de poder relacionadas a eles, como grandes corporações econômicas que acabam sim trazendo suas respectivas nacionalidades à tona,quando assim lhes convêm.

There are several publications currently aimed at explaining the concept of Soft Power, which merely present a list of important cultural “assets” of some countries. Such an initiative is not enough to understand and comprehend what it means and what is at stake when we speak of this form of power. The area of international relations (IR) aims to study the relations of power that occur in the international sphere outside national contexts. Unlike what happens within each country, the international space is anarchic. There is no superior, supranational authority that, in a hierarchical and imperative manner, exerts its power over nation states and all other forms of power related to them, such as large economic corporations that eventually take their respective nationalities to account, when it is convenient to them.

Mesmo organizações internacionais como as Nações Unidas não apresentam este “braço forte”, pois, na realidade, elas existem em razão da adesão e aliança dos países soberanos, podendo estes fazer parte delas um dia, mas abandoná-las no outro. Portanto, considera-se, em praticamente todas as escolas e vertentes teóricas da RI que os Estados nacionais são ainda uma das maiores, ou a principal força atuante na esfera global e as relações internacionais ocorrem conforme o interesse deles.

Even international organizations such as the United Nations do not have this “strong arm” because in reality they exist because of the adhesion and alliance of the sovereign countries, being able to be part of them oneday, but abandon them the next. Therefore, in practically all RI schools and theoretical strands national states are still considered one of the largest, or the main force acting in the global sphere and international relations occur according to their interest.

Crédito: foxhugh.com

Existem diversas formas de o poder de um país ser exercido, os dois principais e mais conhecidos são denominados em inglês como Hard Power (Poder forte, bruto), caracterizado pelo uso da força, relacionado às forças armadas nacionais, ou ao poder econômico capaz de corromper e coagir; e o Soft Power (Poder Suave), cuja complexidade exige uma explicação mais pormenorizada. De forma bastante simplificada: é a capacidade de atrair e cooptar, da também chamada habilidade que um país tem de moldar as preferências e interesses de outros, conforme os seus objetivos, utilizando-se do poder de atração. Em outras palavras, é fazer com que os outros incorporem como deles os seus interesses, valores e objetivos. Para tanto, diversas “ferramentas” podem ser utilizadas, entre elas está o cinema e o audiovisual como um todo.

There are several ways in which a country’s power can be exercised, the two main and best known are called Hard Power, characterized by the use of force, related to the national armed forces, or economic power capable of corrupting and coercinge; and Soft Power, whose complexity requires a more detailed explanation. Simplifying: it is the capacity to attract and co-opt, the so-called ability of one country to shape the preferences and interests of others, according to its objectives, using the power of attraction. In other words, it is to make others incorporate their interests, values and goals as theirs. To this end, several “tools” can be used, among them is the cinema and the audiovisual industry as a whole.

Crédito: russiancouncil.ru

A França é um país que utiliza muito da sua indústria cultural, em especial direcionando-a a países-chaves para ela: aqueles que pertenceram ao antigo império francês, em grande parte localizados na África e na Ásia. Como o Reino Unido que formaliza a manutenção de sua influência no mundo também através do Commonwealth, a França busca sempre fortalecer os laços entre as nações que formam o que denominam de mundo francófono, ou os falantes da língua francesa. Contudo, apesar de sempre prestar grande atenção a tais países, os franceses aplicam tais estratégias, na realidade, para o mundo.

France is a country that makes use of much of its cultural industry, in particular directing it to key countries: those that belonged to the old French empire, largely located in Africa and Asia. Like UK, which formalizes the maintenance of its influence in the world also through the Commonwealth, France always tries to strengthen the bonds between the nations that form what they call the Francophone world, or the speakers of the French language. However, while always paying close attention to such countries, France actually applies such strategies to the rest of the world.

Crédito: World Economic Forum.

E elas vão desde financeiramente promover o cinema de outros países através de coproduções, ou incentivos a festivais e mostras cinematográficas que ocorrem no país, ou no exterior, a exibir conteúdo do mundo inteiro em seu território nacional e no exterior, ou representá-los em seus filmes. Tais medidas visam contemplar não apenas o cinema e a cultura francesa, mas a de outras regiões do mundo, promovendo uma ideia de que a França ainda é regida por valores universais, provenientes da revolução burguesa de 1789. Os três conceitos: liberdade, igualdade e fraternidade estão extremamente bem difundidos nas iniciativas da política externa cultural francesa, garantindo ao país o título de um dos centros mundiais de poder político, econômico e, certamente, cultural.

And they range from financially promoting the cinema of other countries through co-productions, or incentives to festivals and film screenings that take place at home, or abroad, to displaying content from all over the world in their national territory and abroad, or representing other countries culture in their movies. These measures aim not only at French cinema and culture, but at the other regions of the world, promoting an idea that France is still governed by universal values, deriving from the bourgeois revolution of 1789. The three concepts: liberty, equality and fraternity are extremely well diffused in the initiatives of French foreign cultural policy, guaranteeing the country the title of one of the world centers of political, economic and, certainly, cultural power.

Crédito: Pew Global Attitudes Project.

Ainda que a realidade doméstica da França não necessariamente contemple estes valores e tal, o importante é que sua estratégia permanece eficaz, no intuito de fazer com que ao longo do tempo o país permaneça como um polo de poder importante a ser considerado e observado. Diferentemente, do que em grande parte se acredita, de que um país possa mandar e desmandar no mundo, atuando conforme a sua vontade, é importante lembrar que potências, ou superpotência só podem ser assim consideradas se os demais países e habitantes da terra desta forma as enxerguem e transmitam-lhes tal título.

Although the domestic reality of France does not necessarily reflect such values, the important thing is that its strategy remains effective, in order to ensure that the country remains over time as a pole of important power to be considered and observed. Despite the widely held view that a country can control and take the world under its command, making it act according to its will, it is important to remember that powers, or superpowers can only be considered as such if the other countries and inhabitants of the earth allow them to be seeing in this way.

Crédito: World Peace Initiative.

Os franceses ao longo dos anos perderam muito em poder econômico, político e militar para outras nações, contudo ainda permanecem e assim almejam prosseguir por mais algumas décadas como um núcleo importante da cultura. Junto ao título de centro cultural mundial, a França busca manter certo apelo de que ainda é uma economia e ator político essencial no sistema internacional. Para atingir esse importante nível de poder, as políticas do país voltadas para essa área acabam abrindo espaços para que outros países desfrutem e propaguem suas indústrias culturais, mas não a ponto de substituir festivais como o de Cannes, ou possibilitar a outros países ter estratégias de desenvolvimento cultural e intercultural tão complexas como as formuladas pelos pensadores políticos franceses, ao longo dos anos, capazes de substituir a França como eixo cultural de poder.

The French have, over the years, lost much of their economic, political and military power to other nations, yet they remain and aim to continue for a few more decades as an important global center of culture. As well as world cultural center, France seeks to maintain a certain appeal that it is still an essential economic and political actor in the international system. In order to achieve this important level of power, the country’s policies aimed at this area open spaces for other countries to enjoy and propagate their cultural industries, but not to the point of replacing festivals like Cannes, or making it possible for other nations to have cultural and intercultural development strategies as complex as those formulated by French political thinkers, over the years, capable of replacing France as a cultural axis of power.

Crédito: France Culture.

Da mesma forma, muito do que se produz hoje na cinematografia francesa não apenas refletem problemas reais pelos quais passa o país, a exemplo da integração de imigrantes à sociedade francesa atual. Também visa de forma indireta promover uma comunicação ao mundo de que a França continua sendo uma nação de valores universais, promovidos em sua própria história e de que o mundo ainda deve vê-la como uma referência. Por sinal, para além do território francês, a filmografia francesa tem a ambição de levar consigo uma ideia de Europa. De maneira que, ao assistirem e se voltarem para a França culturalmente, o restante do mundo veja ali representado também uma ideia do que venha a ser o continente europeu, estejam os demais países da região concordando com esta questão, ou não.

Similarly, much of what is produced today in French cinematography reflects not only real problems that the country is experiencing, such as the integration of immigrants into the current French society. It also indirectly aims to promote a communication to the world that France remains a nation of universal values, which were rooted in its own history and that the world must still see as a reference. In this way, beyond the French territory, French film culture has the ambition to carry with it an idea of Europe. So that, by watching and looking towards France culturally, the rest of the world will notice the representation of what is expected to be the European continent, whether the other countries of the region agree with this or not.

Um filme produzido atualmente e que reflete bastante esta questão é “O Orgulho” (2018), do diretor Yvan Attal, um israelita, naturalizado francês. A produção é um grande exemplo de Soft Power e de como as relações de poder entre dois mundos potencialmente distintos, entre dominador e dominado, possa converter-se em uma relação em que ambos ganhem, mas que um lado continue permanecendo como o centro de poder. A história conta a estranha relação entre professor e aluno. Neila Salah (Camélia Jordana), filha de imigrantes que cresceu na periferia de Paris, entra para a Universidade Parisiense de Assa, seu primeiro passo para tornar-se advogada, e logo no seu primeiro dia, chega atrasada, provocando o protesto um tanto exaltado do professor Pierre Mazard (Daniel Auteuil), conhecido por suas provocações e deslizes.

A recent film that substantially reflects this issue is “Le Brio” (2018) by director Yvan Attal, an Israeli, raised in France. This production is a great example of Soft Power and how the power relations between two potentially distinct worlds, between ruler and ruled, can become a relationship in which both win, but one side continues to remain the center of power . The story tells the strange relationship between a teacher and a student. Neila Salah (Camélia Jordana), daughter of immigrants, who grew up on the outskirts of Paris, enters the Parisian University of Assa, her first step towards becoming a lawyer, and soon on her first day she is late, provoking a somewhat exaggerated reaction from Professor Pierre Mazard (Daniel Auteuil), known for his provocations and slips.

Neila Salah (Camélia Jordana) e Pierre Mazard (Daniel Auteuil). Crédito: site Ooops.

A briga entre os dois é filmada e exposta na internet. O docente logo ganha a fama de racista e preconceituoso e está prestes a ser expulso.  Mas então ele encontra uma forma de recuperar a própria imagem e se redimir de sua conduta desrespeitosa, incentivando Salah a entrar para o concurso de eloquência da instituição. Nesta oportunidade, ele vai apresentar a ela os estratagemas do filósofo alemão Arthur Schopenhauer de como vencer um debate, expostas na clássica obra “A Arte de Ter razão”, sem ter bases na verdade, ou na coerência.

The fight between the two is filmed and exposed on the internet. The teacher soon gains the reputation of being racist and prejudiced and is about to be expelled. But then he finds a way to recover his own image and redeem himself from his disrespectful conduct by encouraging Salah to enter into the institution’s oratory contest. In this opportunity, he will present to her the stratagems of the German philosopher Arthur Schopenhauer on how to win a debate, exposed in the classic work “The Art of Being Right”, without having bases in truth, or in coherence.

Para além da questão filosófica, que nesta obra cinematográfica é exposta sobre as diversas temáticas do presente, como o politicamente correto e outras, o enredo traz elementos de narrativa que constroem um quadro bastante interessante de como estes dois mundos imigrantes e franceses convergem. Na realidade, tanto o professor, quanto a aluna saíram completamente modificados desta experiência não necessariamente quanto a forma como pensam o mundo, mas da ideia inicial preconceituosa que continham entre um e outro. Ambos acabam aproveitando a situação para impulsionarem, ou simplesmente protegerem seus futuros profissionais.

In addition to the philosophical question, which in this cinematographic work is exposed on the various themes of the present, such as politically correctness, the plot brings elements of narrative that build a rather interesting picture of how these two immigrant and French worlds converge. In reality, both the teacher and the student are transformed by from this experience not necessarily as to how they think about the world, but rather from the initial biased idea they held of each other. Both end up taking advantage of the situation to boost or simply protect their professional future.

Crédito: CinemAqui.

Porém, o mais significativo é que há uma espécie de inclusão e de aceitação da existência e da importância de um na vida do outro, mas a mensagem dos bastidores é bastante clara: a França e a Europa com seus valores e ideais são capazes de serem universais suficientemente para englobar todos os tipos de cultura. Nada mais sutil e perspicaz do que algumas horas de ficção com muitos elementos da realidade para persuadir os espectadores pelo mundo. Eis uma grande demonstração de uma indústria e de um país que promovem e utilizam eficazmente o seu Poder Suave.

But most significantly, there is a kind of inclusion and acceptance of the existence and importance of one in the life of the other, though the underlying message is quite clear: France and Europe with their values and ideals are capable of being universal enough to encompass all types of culture. Nothing more subtle and insightful than a few hours of fiction with many elements of reality to persuade viewers around the world. Here is a great demonstration of an industry and a country that effectively promote and use their Soft Power.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: