China e Índia participam das comemorações do 75º aniversário da vitória aliada em Moscou

Desfile da vitória em Moscou, dedicado ao 75º aniversário da vitória na Grande Guerra Patriótica. Crédito: Wikipedia.

Em 2020, em razão da pandemia Covid-19, a parada militar, organizada pela Rússia, no intuito de salvaguarda a lembrança histórica do Dia da Vitória Aliada (9 de maio para a União Soviética) sobre o nazifascismo do Eixo (Alemanha, Itália e Japão), foi postergada para ontem, 24 de junho. Para tanto, todos os participantes da parada foram testados para o Covid-19. Neste ano, China e Índia, que junto à URSS combateram as forças do Eixo, participaram da marcha em homenagem aos que pereceram na Segunda Guerra Mundial. Tal iniciativa repetiu o ocorrido há cinco anos atrás, 2015, em que indianos e chineses estiveram em Moscou para as celebrações da Grande Guerra Patriótica (como ficou conhecida a Segunda Guerra Mundial na Rússia).

Segundo o diário chinês Global Times (GT), em texto escrito por Yang Sheng e Liu Xuanzun, a presença da Guarda de Honra do Exército de Libertação do Povo Chinês (PLA) e do ministro da Defesa chinês Wei Fenghe no desfile é uma demonstração de que: “os laços permanecem inabaláveis ​​em meio à crescente pressão do Ocidente”. Em 2015, Vladimir Putin e as Guardas de Honra Militares Russas também participaram do desfile do Dia V da China para comemorar o 70º aniversário da Guerra de Resistência à Agressão Japonesa, bem como a Segunda Guerra Mundial em Pequim em 2015.

A participação da China no desfile mostrou que as duas principais potências não apenas compartilham interesses estratégicos comuns, mas também compartilham um terreno comum na salvaguarda da correta visão histórica da Segunda Guerra Mundial. Em contraste, algumas vozes ocidentais estão tentando subestimar as contribuições da China e da antiga União Soviética na guerra antifascista, disseram observadores chineses. A China sempre mantém uma posição justa e justa para salvaguardar conjuntamente a visão histórica da Segunda Guerra Mundial com a Rússia“, salientaram os autores do GT.

Já da parte dos indianos, conforme publicado no site da NDTV indiana, um contingente de 75 membros das Forças Armadas da Índia esteve presente na marcha do Dia da Vitória. O ministro da Defesa Rajnath Singh, um dos convidados de destaque, postou um comentário em seu Twitter: “participando do desfile do dia da vitória na Praça Vermelha em Moscou hoje para comemorar o 75º aniversário da vitória do povo soviético na grande guerra patriótica de 1941-1945. Estou orgulhoso de que um contingente de três serviços das forças armadas indianas também esteja participando neste desfile“, twittou Singh.

Com China e Índia participaram das comemorações outros 18 países. A Segunda Guerra Mundial foi o maior conflito global que a humanidade já experienciou. União Soviética e China foram os países que mais sofreram perdas humanas. Entre 20 a 35 milhões de cidadãos soviéticos pereceram nos campos de batalhas. Já a China é o segundo país com maior número de mortos, entre 15 a 20 milhões. A Índia também teve perdas significativas: 87 mil indianos faleceram combatendo as forças do Eixo.

Deixe seu comentário

Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: