Convocação ao Prêmio Nobel da Paz às Brigadas Médicas Cubanas Henry Reeve

Crédito: PCdoB.

Juro por Apolo Médico, por Esculápio por Higía por Panaceia e por todos os Deuses e Deusas que acato este juramento e que o procurarei cumprir com todas as minhas forças físicas e intelectual,” Não permitirei que considerações sobre idade, doença ou deficiência, crença religiosa, origem étnica, sexo, nacionalidade, filiação política, raça, orientação sexual, estatuto social ou qualquer outro fator se interponham entre o meu dever e o meu paciente;…” – Hipócrates

O reconhecimento do respeito ao ser humano e a entrega para salvar vidas fizeram dos Médicos Cubanos uma referência internacional de solidariedade. Cuba, em nome da defesa da humanidade, comprometeu-se na área da saúde a cuidar das populações pobres do planeta. As missões humanitárias cubanas estenderam-se pelos quatro continentes e apresentam um caráter único.

Henry Reeve foi um jovem americano que, em 1878, saiu do Brooklyn (EUA) para incorporar-se ao exército Mambi e lutar na primeira guerra de independência da República de Cuba. Hoje, o Contingente Internacional de Médicos Especializados em Situações de Desastre e Epidemias Graves, que leva o seu nome, atuam há décadas em vários lugares no mundo: no Peru, em 1970; em Pisco, em 2007; no Haiti, na crise da cólera; em países da África, no combate ao ebola, entre muitos outros.

Atualmente, as brigadas estão presentes em 24 países da América Latina e Caribe; em 27 países da África Subsaariana, em dois do Oriente médio e África setentrional; em sete países da Ásia.  Na luta contra o COVID-19, os médicos cubanos não hesitaram a se juntar aos médicos chineses. Em 22 de marco de 2020, aportaram na Lombardia, Itália, desempenhando uma assistência fundamental.

No Brasil, na década de 1990, a cidade de Niterói implantou o “Programa Médico de Família”, aos moldes do Programa Cubano. Esse Programa funciona há 28 anos nas comunidades carentes com grande êxito e fez uma história fabulosa de atendimento domiciliar e hospitalar. O “Programa Mais Médicos”, implantado no Brasil em 08/06/2013, chegou às regiões de pobreza extrema, de alto risco de vida como favelas do Rio de Janeiro, de São Paulo, da Bahia, de Minas Gerais, dando ênfase a 34 reservas indígenas, sobretudo na Amazônia.

Em 3.600 municípios, o Programa atendeu 60 milhões de brasileiros, assistidos por médicos cubanos em todas as especialidades médicas. Amplamente reconhecido pelos governos Federal, Estadual, Municipal e principalmente, pela população, segundo estudo realizado pelo Ministério da Saúde do Brasil, junto com a Universidade Federal de Minas Gerais, o grau de aceitação entre a população atinge a 95%.

Crédito: https://brigadasmedcuba.com/

Diante da grandeza e solidariedade dos médicos cubanos, que estão salvando vidas como objetivo principal, é que pedimos sua adesão de apoio ao Prêmio Nobel da Paz de 2021, ao Contingente Henry Reeve. Para adesão acesse o site dedicado à campanha das Brigadas Médicas Cubanas

Firmam este documento sociedade civil e entidades:
Leonardo Boff – Filosofo/ Teólogo
Frederico Mayor Zaragosa – Poeta
Márcia Tiburí – Filosofa
Márcia Miranda – Teóloga
Adolfo Pérez Esquível – Prêmio Nobel da Paz (1980)
Quim Torra – Presidente do Governo da Catalunya
João Vicente Goulart – Presidente do Instituto João Goulart
Fernando de Moraes – Escritor
Berenice Guayasamin – Diretora da Fundação Guyasamin
Francisco Buarque de Hollanda – compositor/intérprete
Felipe Redicetti – Maestro/compositor
Monserrat Ponsa Tarrés – Escritora
Carol Proner – Jurista
Jandira Feghalli – Deputada Federal

Fonte: Texto originalmente publicado no site Brigadas Médicas de Cuba.
Link direto: https://brigadasmedcuba.com/

Marilia Guimarães
RED en Defesa de la Humanidad (REDH-BRASIL)

 

Um comentário em “Convocação ao Prêmio Nobel da Paz às Brigadas Médicas Cubanas Henry Reeve

Adicione o seu

Deixe seu comentário

Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: