Fundação Japão promove Música no Castelo, série de concertos solos com músicos brasileiros e japoneses

Crédito: Fundação Japão.

Para enaltecer a apresentação de conteúdos sobre a cultura japonesa em tempos de isolamento social, a Fundação Japão lançou em agosto o projeto Música no Castelo. Trata-se de uma série de dez concertos solos, promovidos por músicos do Brasil e do Japão, todos eles gravados em suas próprias casas. As apresentações estarão disponíveis nos dias 15 e 20 de cada mês a partir das 17 horas, no canal do YouTube da Fundação Japão em São Paulo, e poderão ser apreciadas em segurança, também em casa, até dezembro deste ano.

Junto das apresentações, o público poderá acessar, no site da instituição, um descritivo sobre cada programa, com informações sobre o músico, repertório que será apresentado e  instrumentos utilizados, assim como informações detalhadas sobre os instrumentos tradicionais japoneses, permitindo aos apreciadores da programação conhecer um pouco mais sobre a música e a cultura japonesa.

Conforme explicam os organizadores do evento, com a quarentena, o isolamento social fez com que as pessoas tivessem que ficar em casa. “Sob um ponto de vista simbólico, nossas casas transformaram-se em castelos, nossas residências particulares ‘fortificadas’, deixando o grande inimigo do lado de fora, explica o curador e organizador do projeto Música no Castelo. Nesta nova realidade, nasce o projeto ‘Música no Castelo’, no qual músicos e musicistas, dentro de suas casas, tanto se protegem desse inimigo invisível, perigoso e letal, quanto se expressam por meio de sua arte, utilizando a web como veículo de comunicação com o mundo exterior“.

Com a curadoria e coordenação de Shen Ribeiro e apoio de Sinos na Floresta, o projeto Música no Castelo tem tema livre, e propõe aos músicos que façam com que a música reverbere através da web. Segundo Ribeiro, na religião original do Japão, o Xintoísmo, o divino está presente nos elementos da natureza, sendo os santuários verdadeiros oásis espirituais, nos quais, até hoje, as principais datas do ano são celebradas.

Já o budismo, entra no Japão em meados do século VII , trazendo não apenas uma nova religião, mas um novo estilo de vida, convivendo pacificamente com o Xintoísmo. “Uma das características do Zen Budismo é a prática diária da meditação e, também, de alguma outra atividade. No Japão, a classe samurai encontrou a prática da espada diária e exaustiva em busca da perfeição. Outras artes seguiram o mesmo caminho, como a ikebana, a cerimônia do chá, as artes marciais, os jardins, trabalhos de artesãos e, por que não, a prática de um instrumento?”, salienta.

Desejamos que este canal de comunicação possa levar para as pessoas uma mensagem de paz e esperança para um mundo que está transformando-se e, com certeza, será melhor quando esta tormenta passar”, enfatiza Ribeiro. “Será um resgate, de forma simbólica, do espírito zen da reclusão e da prática da meditação, com trabalhos solos destes músicos em seus próprios castelos, praticando seus instrumentos”, explica o curador do projeto, e também músico.

Fonte: Texto originalmente publicado no site da Fundação Japão.
Link direto: https://fjsp.org.br/agenda/musica-no-castelo/

Deixe seu comentário

Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: