Camarões busca futuro brilhante nas produções cinematográficas

Foto de arquivo tirada no dia 25 de maio de 2022 mostra Jackson Stephanor (1º, direita), diretor de Boss Daughters trabalhando na região sudoeste, Camarões. Crédito: Kepseu/XInhua.

Aguardem!“, grita o diretor enquanto os atores pegam suas marcas. A iluminação pisca e a equipe de filmagem começa depois da ordem para se apressar. É um dia ensolarado em Tiko, uma localidade no sudoeste de Camarões e uma equipe de filmagem local está reunida para filmar uma série de ação. A série que destaca os males das drogas e do tráfico de pessoas chama-se “Boss Daughters” e tem estreia prevista para novembro.

Estamos filmando há quatro dias e realmente esta é uma experiência maravilhosa porque amo o enredo“, disse Jackson Stephanor, 32 anos, diretor do programa. Stephanor espera que “Boss Daughters” dê um novo impulso a Collywood, o apelido carinhoso da indústria cinematográfica de Camarões. A diversidade cultural de Camarões, subúrbios arborizados e paisagens arrebatadoras, desertos e lagos têm cada vez mais destaque na tela de cinema nos últimos anos, servindo de pano de fundo para vários filmes populares no país.

Foto de arquivo tirada no dia 26 de maio de 2022 mostra a cena da filmagem de Boss Daughters na região sudoeste, Camarões. Crédito: Kepseu/Xinhua.

Nos últimos quatro anos, a indústria cinematográfica de Camarões realmente evoluiu. Passamos das vendas de DVDs e CDs para o modo on-line“, disse Montana Peters, 31 anos, que produziu e atuou em vários filmes. A nação da África Central teve um crescimento considerável em suas produções cinematográficas, com mais de 300 filmes produzidos desde 2008, disse o treinador Obi, que entrou na indústria como ator em 2006. Nos últimos meses, várias produções camaronesas vêm atraindo a atenção da empresa de streaming Netflix, que até agora comprou quatro filmes camaroneses.

Estamos dando alguns passos“, disse Obi à Xinhua enquanto filmava um anúncio em um estúdio em Buea, cidade-chefe da região sudoeste que se tornou o centro das produções cinematográficas do país. O crescimento e popularidade da indústria conquistou a admiração e atenção de jovens camaroneses como Josiane Shengang, 21 anos, Angel Ntube, 21 anos, e Elyon-Bright Ayuk, 22 anos, que arrecadaram fundos para produzir “Boss Daughters”.

Foto de arquivo tirada no dia 25 de maio de 2022 mostra Jackson Stephanor (1º, esquerda), diretor de Boss Daughters, orientando atrizes durante as filmagens do filme na região sudoeste, Camarões. Crédito: Kepseu/Xinhua.

Somos apenas estudantes que trabalham muito para conseguir. Quero que minha carreira chegue o mais alto e longe possível“, disse Ntube. “Estamos tentando ser o centro das atenções. Somos jovens talentosos“, acrescentou Ayuk. Não há estatísticas oficiais sobre o quanto a indústria contribuiu para a economia camaronesa, mas sem dúvida criou empregos em um país cuja economia depende principalmente do petróleo e da agricultura, disse Obi.

Algumas pessoas estão ganhando dinheiro. Pode não ser muito, mas os produtores estão fazendo esse esforço“, disse Obi. Ainda assim, Peters disse que a indústria tem um longo caminho a percorrer antes que seus atores e diretores tenham a chance de ganhar milhões de dólares americanos. “Na verdade, não temos plataformas nas quais possamos vender nossos filmes, esse é o maior problema. Nisso, a Nigéria está à nossa frente“, disse Peters, acrescentando que uma equipe estava trabalhando em uma plataforma que em breve transmitirá filmes on-line para os moradores em Camarões.

Foto de arquivo tirada no dia 25 de maio de 2022 mostra Jackson Stephanor (1º esquerda, frente), diretor de Boss Daughters, orientando seu cinegrafista enquanto filmava o filme na região sudoeste, Camarões. Crédito: Kepseu/Xinhua.

Alimentada por orçamentos baixos, cronogramas de produção turbulentos e pouca colaboração profissional, a indústria ainda é jovem, mas tem grandes potenciais, disse o editor e produtor de filmes, Musi Gakehmi. “Conforme cresce e à medida que as pessoas confiam na produção, mais dinheiro entrará e teremos equipamentos melhores“, disse Gakehmi. “Nos próximos dez anos, vejo a indústria cinematográfica de Camarões como uma das maiores indústrias cinematográficas da África. Será realmente grande porque eles estão trabalhando e fazendo muitas conquistas“, disse Shengang.

Arison Tamfu
Para Xinhua

Fonte: Copyright Xinhua. Proibida a reprodução.
Link direto: http://portuguese.xinhuanet.com/20220815/491c03880f68472599f26a0fff787cf3/c.html

Deixe seu comentário

por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: