“Robocop” (1987), de Paul Verhoeven: capitalismo neoliberal e a busca pela humanidade perdida

Existem filmes que não envelhecem. Existem filmes que ficam melhores com o tempo. O jovem clássico “Robocop” de 1987, dirigido com fúria por Paul Verhoeven, enquadra-se nesta categoria. Lembrei-me do filme ao ler a curiosa notícia da “falência” da cidade de Detroit. Parece-nos bizarro a falência de uma cidade, mas a crença americana nas leis do... Continuar Lendo →

A capitulação dos “invencíveis” em “Líbano” (2009), de Samuel Maoz

Os mestres Samuel Fuller e Robert Aldricht ensinaram que a guerra é, sobretudo, um drama humano de sobrevivência, sorte e superação. Longe dos Generais (que desde a Guerra Franco-Prussiana, no final do século XIX, distanciaram-se do campo de batalha), seus mapas e dilemas estratégicos, a guerra é vencida (ou perdida) na fria trincheira, na úmida selva ou mesmo... Continuar Lendo →

“A racionalidade não irá nos salvar” – os documentários de Errol Morris sobre McNamara e Rumsfeld

O documentarista norte americano Errol Morris procura, em seus filmes, entender e dar luz aos esqueletos escondidos no armário da história estadunidense. E sua abordagem é bem específica. Ele não cobre os grandes eventos históricos com recortes rápidos, emoldurados por cenas documentais e narrados com alguma voz professoral. As decisões pessoais, nesse formato convencional, parecem guiadas... Continuar Lendo →

Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑